Energy, climate and civic participation

Interpersonal and small group communication have the power to touch people. They both contribute to create a cascade effect that influences opinions in a given community through local leaders and residents mainly when face to face conversations take place – a traditional word-of-mouth propaganda.

A couple of weeks ago (Tuesday, September 12th), Eric Henson and I (photo) participated in a very special meeting in the community of Emerald Hills. Emerald Hills CCE Presentation 1The neighborhood council held its monthly meeting to discuss a variety of issues and one of them was Community Choice Energy (CCE), a hybrid model for local energy management. This model is a path for achieving 100% clean energy. The City of San Diego (CA) is considering implementing CCE in 2018. In order for that to happen, the City Council needs to vote an ordinance adopting the program. There are eight CCE programs already installed in California, and the current state government is pushing policies that could turn California into a net carbon state by 2045.

It was great to be part of the Climate Action Campaign communication efforts as a volunteer to explain and educate people about CCE.

Public communication in the true sense of the word! I am thinking of repeating my volunteer participation.

Credit: photograph by the author of Blog Entre Cá

Anúncios

Um pouca da minha terra … e o multiculturalismo

Dez anos de Brazilian Day, festa em San Diego, cidade praiana no Sul da Califórnia, para celebrar o dia da pátria, ou melhor, o dia da identidade de nós brasileiros. Não faltou pão de queijo, pastel de carne e romeu e julieta (queijo e goiabada), churrasquinho, empada, açaí e outras gostosuras que tanto estamos acostumados. Também não faltou música, batuque, desfie, rebolado, mulata, carnaval, e carro de som com puxador de samba. A cuíca estava presente num dos carros alegóricos. O espaço é grande e muitas barracas lotaram o estacionamento do Belmont Park. A última vez que participei, o festival ainda ocupada duas pequenas ruas de um bairro praiano próximo ao parque.

Para além das coisas da minha terra, encontrei diversidade cultural. O artista Fred, originário de Hong Kong, mora há dez anos em San Diego e tem como hobby criar e fabricar pop-up cards. Os cartões servem a todas as ocasiões e ele comenta comigo durante nossa conversa que muito de sua inspiração vem dos pedidos dos clientes.

Cuidadoso, Fred diz que um dia gostaria de viver de seus cartões mas que agora é mesmo um trabalho que apenas lhe encanta fazer.Fred Pop up Cards

Quando perguntei sobre sua técnica de criação, Fred disse que cada cartão leva uns quatro meses para ser produzido. Ele conta que quando a idéia está clara, ele coloca no papel o desenho, depois especifica as medidas e busca um fornecedor que faz o corte a laser dos pequenos papéis. Quando chega, ele cola os pequenos papéis para montar o desenho e depois o cartão. A minúcia e a engenhosidade tri-dimensional acaba por transformar o cartão num delicado objeto de decoração.

Créditos: fotos da autora do Blog Entre Cá